Publicado em 24 de outubro de 2019 por Gula Certa - Notícia
4 dicas para não comprar azeite fraudado
Desconfie de preços muito baixo e procure certificados de origem nas embalagens

Nesse mês de outubro, o Ministério da Agricultura anunciou a punição com a suspensão da venda de 32 marcas de azeites de oliva que sofreram adulteração. A maioria delas misturou o azeite com óleos de soja e outros óleos de origem desconhecida.

Apesar da suspensão, não é fácil garantir que os produtos que estão disponíveis nas gôndolas são de confiança. Os fabricantes que adulteram produtos estão utilizando técnicas cada vez mais aprimoradas para ludibriar o consumidor e a fiscalização. Portanto, saber os detalhes para identificar um bom azeite é essencial para não levar um produto de baixa qualidade para casa.

E para ajudar nessa tarefa, Chiara Tengan, gerente de marketing da Ajinomoto Food Service, divisão responsável pela distribuição dos azeites Terrano, trouxe dicas de ouro para aprender a verificar a qualidade de um azeite:

1- Produção

Os dados de origem do produtor devem estar descritos no rótulo e se o local de produção e envase forem iguais, melhor. Não é uma regra, mas existe uma chance maior de fraude quando essas informações são diferentes. A melhor alternativa é sempre optar por marcas já reconhecidas onde há maior controle sobre a qualidade e segurança alimentar. Se essas informações não estiverem disponíveis ou se os locais forem diferentes, desconfie.

“A omissão da origem do produtor pode ser um indicativo de que o produto veio de locais diversos, o que sugere que pode ter ocorrido mistura de óleos”, explica Chiara.

2- Certificados de qualidade

Selo de qualidade no rótulo é um bom indicativo de que a mercadoria é confiável. Por exemplo, a Casa de Azeite de Portugal fornece o certificado para os produtos com padrão de qualidade português.

3- Tipo

Os azeites devem ser “catalogados”, ou seja, o tipo do produto deve estar descrito na embalagem (virgem, extravirgem ou tipo único). A falta de classificação pode ocorrer quando o produto é misturado com outros óleos, que faz com que a acidez do azeite seja modificada e a qualidade prejudicada.

4- Preço

É aquele velho ditado: o barato sai caro. O valor deve ser razoável. Desconfie de azeites com preço muito reduzido, pois a produção de boa qualidade não tem custo baixo.

Últimas notícias

Veja mais notícias