Publicado em 6 de junho de 2020 por Laura Quariguazy - Meio ambiente
Quase mil hectares de território Kalunga são desmatados em Goiás
Manter o território do povo tradicional Kalunga é extremamente importante para também garantir a disseminação de sua sabedoria

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5 de junho. Mas, em Goiás, não há muito o que comemorar. Na mesma semana da importante data, os Kalunga perderam praticamente mil hectares de seu território para o desmatamento totalmente irregular. Na quinta (4/6), o governo goiano realizou uma operação para combater as ações ilegais.

O território, no total, compreende os municípios de Cavalcante, Teresina e Monte Algre de Goiás. Na área de Cavalcante é que o fato se deu. Ao G1, a secretária estadual de Meio Ambiente, Andrea Vulcanis, disse que uma fazenda já teve 530 hectares mapeados e há suspeita que as terras sejam de um único proprietário.

O portal Mais Goiás relatou o receio de alguns Kalungas diante das ameaças ao espaço, que era 100% preservado antes do crime. Ao site, o presidente da Associação Quilombo Kalunga, Jorge Moreira, disse que há um sentimento profundo de perda em relação ao que já foi desmatado. “Perdemos parte desse cerrado que consideramos o coração dos Kalungas”, lamenta.

Manter o território desse povo tradicional é extremamente importante para também garantir a disseminação de sua sabedoria. Existem diversos conhecimentos importantes a respeito de plantas medicinais do Cerrado. Além disso, os Kalungas são os grandes detentores da sabedoria ligada à baunilha do Cerrado.

Imagem do topo meramente ilustrativa
Últimas notícias

Veja mais notícias