Publicado em 2 de agosto de 2020 por Gula Certa - Meio ambiente
Engenheiros da USP desenvolvem novo plástico de mandioca
Entre os benefícios do novo produto estão maior resistência, transparência e permeabilidade

Um novo tipo de plástico biodegradável, que tem como matéria-prima o amido de mandioca, foi produzido na USP, a partir de uma parceria entre a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), em Piracicaba, e Escola Politécnica (POLI).

O Abre conta que os pesquisadores desenvolveram uma técnica que utiliza o gás ozônio para processar o amido e melhorar as propriedades do plástico. O resultado é um produto mais transparente e resistente, que poderá ser usado em diversos tipos de embalagens. O método já teve a patente requerida, visando à transferência de tecnologia para a indústria.

A pequisadora Carmen Cecilia Tadini aponta que o aspecto inovador do seu projeto consiste na modificação do amido de mandioca a partir da ozonização para a produção de filmes. “Trata-se de uma tecnologia verde, amigável com o ambiente. Esse é o foco, modificá-lo com o ozônio de maneira a melhorar suas propriedades na forma nativa”.

Entre os benefícios do novo produto estão maior resistência, transparência e permeabilidade. Um pedido de patente já foi depositado, visando à transferência de tecnologia para a indústria.

Últimas notícias

Veja mais notícias